8 de setembro de 2010

Mágico Monsil-Mágica contra o Charlatanismo Paranormal

           Focinho de porco não é tomada, caranguejo não é peixe, cachaça não é água e para finalizar mágica não é charlatanismo. Não é de hoje que “médiuns” entortam talheres, retiram objetos de frutas, algodão e até de pratos de comida, de longa data fazem levitar canetas, óculos, lenço, dinheiro, advinham pensamento, fazem previsões e até ressuscitam pequenos animais, isso é muito difícil de fazer, diria impossível e assustador, mas desculpe lhe decepcionar caro leitor, mas é tudo uma mentirinha, não o que é feito, mas a forma paranormal como é apresentada isso é charlatanismo. Mas o que significa charlatanismo? Vejamos no nosso amigo Aurélio a definição de charlatão:
           Charlatão: Impostor, trapaceiro. Ual, essa é uma acusação grave, então antes que eu vá preso vamos estudar um pouco sobre paranormalidade, poderes sobrenaturais e ilusionismo, palavras diferentes, significados diferentes, mas com a mesma forma de utilização pelos charlatões.
Fazer uma caneta levitar pode ser graças aos poderes sobrenaturais de um médium, mas não é, isso é mágica( ilusionismo), certas previsões de números, e pequenas informações podem ser atribuídas a visão aguçada de um paranormal, mas não é, isso também é mágica.
Muitas coisas que parecem extraordinárias ou inexplicáveis são, logicamente e naturalmente explicadas e até mesmo ensinadas. Contudo a minha intenção não é revelar nenhum segredo, por dois motivos, primeiro: como um mágico não posso revelar meus segredos; segundo: revelar segredos de ilusionismo fere o código de ética dos mágicos, e eu nao sou o Mister M, mas em uma coisa a maioria dos ilusionistas concordam, que é desmascarar essas pessoas que se intitulam paranormais, médiuns, clarividentes ou dotados de algum poder sobrenatural e não divulgam a arte do ilusionismo, que na verdade é o que eles fazem.
            Tudo ocorre naturalmente, o ilusionismo é composto de explicações racionais e possíveis, até os efeitos mais extraordinários podem ser explicados e até mesmo ensinados e por isso entra a questão de não revelar o segredo, a partir do momento que a mágica é exposta e ensinada perde todo seu encanto, já que o mais interessante no ilusionismo é o mistério, resumindo, em uma mágica o importante é o efeito e não a causa.
Já para os charlatões o importante é a causa, ou melhor o “retorno”, alegando ter poderes estranhos, e o que realizam é resultado da força da mente ou de energias oriundas de extra- terrestres, de espíritos e até mesmo das forças da natureza, sinceramente, a natureza tem coisa mais importante para fazer do que ficar levitando notas de dinheiro, estourando lâmpadas ou prevendo números.
            E a questão dos ET’s, será verdade? Vamos refletir um pouco; se existe vida em outro planeta, esse lugar deve ser um tédio para um ser extra- terrestre pegar seu disco voador viajar milhares de anos-luz, descer até a terra abduzir um humano, apenas para ensinar ele a entortar uma colher, francamente seria mais justo essa pessoa dizer que comprou um DVD de mágica para iniciantes e aprendeu 20 truques bem legais e vai mostrar o que aprendeu. Charlatões não têm medo de brincar com os sentimentos dos outros e de falar de quem já morreu, tudo com grande frieza e como se fosse verdade, o falso vidente ou paranormal sabe que não tem poderes, ma seu objetivo é fazer com que os outros acreditem que ele é dotado de tais poderes, mesmo que para isso ele tenha que mostrar fielmente que acredita no que é capaz de fazer.
Uma das técnicas mais usadas por falsos videntes se chama “leitura fria”, que é o estudo dos gestos, detalhes, roupa, estilo, e outras características que dizem muito sobre a pessoa, por exemplo, uma pessoa que se veste de forma elegante, séria e tradicional, certamente não é uma pessoa que gosta de aventuras, coisas radicais e excesso de modernidade, a leitura fria é uma técnica muito usada por esse “paranormais.”
            Que fique esclarecido mais uma vez, ações paranormais existem sim, mas não é programada, controlada e nem conhecida a fundo para ser explorada em programas de televisão. Previsões, levitação, manipulações e outras técnicas usadas por esses charlatões nada mais são do que números de ilusionismo, naturais e reais, qualquer mágico de verdade, bem treinado e sério realiza esses efeitos com maestria, a diferença é que os mágicos ganham dinheiro com isso de uma forma honesta, mostrando a arte do ilusionismo e deixando isso bem claro para quem assiste, diferente dos falsos paranormais que querem ganhar dinheiro, mentindo e denegrindo essa arte tão rica e bonita que se chama: mágica.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...