15 de novembro de 2012

Mágico Monsil- A arte Simples e Complexa

 Números de mágica são sempre intrigantes e cheios de mistérios, a mente humana adora desafios e sente um prazer imenso quando os descobre, é por isso que toda vez que um mágico se apresenta o desejo consciente do público é descobrir como aquilo foi feito, entretanto o desejo inconsciente não quer descobrir, no fundo ele quer ser iludido, quer viver um momento de utopia onde o impossível parece acontecer. Revelar o segredo ou descobrir como foi feito causa uma frustração naquele indíviduo por ver que aquilo foi feito por métodos naturais sem poderes estranhos.
É dificil acreditar em tudo que os olhos veem, mas por um momento deixamos a racionalidade de lado e permitimos ao nosso cérebro acreditar naquelas "verdades" momentâneas que tanto nos encantam.
Tudo se deve a grande habilidade que o mágico tem nas mãos devido aos seus minunciosos treinamentos, é claro que uma boa história e uma boa técnica de persuasão são indispensáveis para compôr uma mágica e além dessa base essencial temos os equipamentos, aparelhos e acessórios que deixam o efeito mais bonito e profissional.
A mágica tornou-se uma atividade regulamentada em 1978, fazendo com que a mágica fosse enquadrada como profissão tendo registro no Ministério do Trabalho. Os segredos das mágicas devem ser guardados e preservados, por isso o mágico treina, se especializa, realiza cursos, treina a cordenação, técnicas teatrais e construção de rotinas, tudo isso para que o público aprecie um bom espetáculo.
O dia 31 de janeiro é a data em que se comemora o Dia do Mágico, em homenagem a São João Bosco o patrono dos ilusionistas, ele era um  padre que admirava as artes circenses e fazia números de mágica com o objetivo de atrair a atenção do povo convidando-os a rezar em seguida, São João Bosco viveu na Itália entre 1815 e 1888, era um padre dedicado à educação das crianças e jovens, no ano de 1934 tornou-se um santo da Igreja Católica, é a mágica ligada a religião.
A mágica tem tudo a ver com a ciência também, o ilusionismo certamente não existiria sem os mistérios da ciência, envolvendo física, mecânica, química, matemática, ótica entre outros fatores, porém existe uma grande diferença entre as duas: na mágica o segredo é a base de tudo e não deve ser revelado jamais, já a ciência tem o papel de descobrir todos os segredose publicá-los ao mundo. O mágico é também um cientista que usa de vários recursos para a criação de seus números, não é atoa que um bom mágico além de treinar manipulação e técnicas de ilusionismo precisa ser um bom estudioso em todas as áreas do conhecimento para que tenha amplo domínio de sua arte.
Desde a fabricação dos aparelhos de mágica até o uso de tablets, celulares e engenhocas tecnológicas vemos a presença da ciência dentro da mágica, seja com números que necessitem de espelhos, desaparições, levitações, ilusões óticas em tudo vemos essa cumplicidade entre as duas artes, o mágico precisa estudar e pensar muito para desenvolver um efeito com conceitos científicos mundialmente conhecidos de uma forma que o público não imagine como foi feito e possa presenciar a verdadeira mágica do impossível, deixando a plateia de boca aberta.
A mágica é muito antiga mas nem por isso deixa de ser atual, ela está constantemente evoluindo, sempre adaptando as rotinas já criadas e inovando na criação de novos números, podemos ver a ligação que essa arte tem nos segmentos da humanidade, sejam nas crenças ou nas comprovações científicas, a mágica é a mais completa das artes possuindo um nível de complexidade muito elaborado e que se renova com o tempo. Ser mágico é ser uma metamorfose em constante aperfeiçoamento.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...